Menu
Sábado, 28 de novembro de 2020

Mês de agosto registra maior série histórica de taxa de mortalidade por Covid-19 em MS

VEJA : Ações para evitar o avanço da Covid-19

01 de Set 2020 - 18h:00 Créditos: Rodson Lima, SES
Crédito: Portal MS

O balanço que monitora os avanços da Covid-19 em Mato Grosso do Sul, divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) nesta terça-feira (1.9), aponta que o mês de agosto registrou a maior série histórica de letalidade em razão do coronavírus desde o início da pandemia no Estado. Em comparação com julho, por exemplo, a taxa de letalidade estava em 0,9% e o índice dobrou, chegando a 1,8%.

Dos 49.820 mil casos confirmados no Estado, agosto foi responsável pela metade, 24 mil novos casos foram registrados no mês. A mesma proporção também foi sentida nos óbitos, de 889 casos desde o início da pandemia, 478 ocorreram em agosto. Campo Grande foi o município que mais apresentou casos positivos. Dos 21.697 mil casos registrados desde o início da pandemia, 11.459 mil novos casos foram confirmados na Capital.

Para o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, agosto foi o pior mês de enfrentamento ao coronavírus. “Até o final de julho tínhamos menos de 1%, a nossa taxa de letalidade dobrou em um mês para 1,8%. Média móvel ficou de 14 óbitos por dia no Estado e em Campo Grande, a média móvel está em 7, ou seja, mais da metade dos casos. Assim, o isolamento social ainda é o melhor remédio, aliado ao uso de máscaras e também às regras de higiene”.

Ações para evitar o avanço da Covid-19

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Saúde, tem realizado ações para conter os avanços do novo coronavírus. A ampliação dos postos que realizam testes tem ajudado na identificação de novos casos.

Os Drive-Thrus possibilitaram a realização de coletas de testes RT-PCR e testes rápidos nos municípios de Três Lagoas, Dourados e Corumbá. Na Capital, por exemplo, 500 testes rápidos são realizados pelo drive e mais 258 coletas de RT-PCR semanalmente. No mês, 7,3 mil atendimentos foram realizados em Campo Grande. No total, 15.011 testes de RT-PCR foram realizados no mês de agosto, e nos últimos três meses, o número chega a 32.910 mil resultados de exames no Estado.

A implantação de mais postos de testagem, como o da E.E. Lúcia Martins Coelho, no período noturno, ampliou o acesso dos trabalhadores aos exames na Capital. O local foi responsável pela realização de 11,1 mil testes rápidos mensal. A SES ainda doou para o município de Campo Grande, que registra maior índice de contaminação, 37,2 mil testes rápidos para serem utilizados no polo e também nas Unidades de Saúde. A Secretaria ainda tem realizado todos os testes de biologia molecular RT-PCR coletados pelos demais municípios.

Ampliação de Leitos Hospitalares

A Secretaria de Estado de Saúde realizou a implantação de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) Covid, sendo 369 leitos de UTI adulto e mais nove pediátrico. As unidades foram instaladas em todas as microrregiões de saúde. No Hospital Regional de Mato Grosso do Sul (HRMS) houve uma ampliação expressiva, de 29 para 118 leitos, quatro vezes a mais do volume ofertado.

O boletim de agosto ainda aponta que a média de pacientes internados com Covid-19 foi de 52,5 pacientes residentes em Campo Grande e de 8,3 de pacientes que vieram de outros municípios. Ao todo, agosto registrou 1.296 pessoas internadas, sendo que 552 foram de Campo Grande.

Óbitos

A média móvel de óbitos apresentou redução significativa em comparação com julho. Conforme o levantamento, enquanto no dia 31 de julho a média móvel de mortes estava em 15, no dia 31 de agosto a média foi de 13,9 óbitos, tendo inclusive registrado média de 12 casos de óbitos no Estado. E Campo Grande manteve o mesmo índice de 7,1 de média de óbitos em razão da Covid-19.


Deixe um comentário


Leia Também

Veja mais Notícias