Menu
Quarta, 20 de janeiro de 2021

Caso Miguel: Justiça bloqueia bens da mulher no valor de R$ 2 milhões

Seu marido é prefeito da cidade

02 de Out 2020 - 16h:35 Créditos: Roberta Ferreira
Crédito: Divulgação

A Justiça do Trabalho de Pernambuco determinou o bloqueio de bens e valores de propriedade do casal Sérgio Hacker e Sari Corte Real.  

Ele é prefeito de Tamandaré e candidato à reeleição e a mulher dele responde processo pela morte do menino Miguel Otávio Santana da Silva, de 5 anos. Ele estava aos cuidados dela quando caiu do 9º andar de um prédio de alto padrão em Recife, onde a mãe dele trabalhava como empregada doméstica.  

Os valores bloqueados servem como garantia para o pagamento de indenização por danos morais coletivos. De acordo com o MPT (Ministério Público do Trabalho) em Pernambuco, a medida é cautelar e foi pelo requerida ao TRT (Tribunal Regional do Trabalho) para determinar a indisponibilidade de bens do prefeito e da esposa.  

A ação civil pública foi ajuizada em 15 de julho, na 21ª Vara do Trabalho do Recife/PE, contra o casal e, nesta quinta-feira (1º), o MPT obteve decisão parcialmente favorável aos pedidos provisórios.  

Segundo o MPT, o objetivo "é restaurar a ordem jurídica trabalhista violada pela conduta continuada dos réus em desfavor de trabalhadores domésticos que, por anos, prestaram-lhes serviços sem, no entanto, terem seus direitos laborais devidamente respeitados".  

Também a mãe de Miguel foi registrada como funcionária da Prefeitura de Tamandaré, mas, na verdade, trabalhava na casa do prefeito em Recife.  

Mirtes Renata, mãe do menino Miguel, criou uma campanha nas redes sociais para pressionar a Justiça de Pernambuco a agilizar o processo que apura a culpa de Sari Corte Real no episódio que terminou com a morte da criança.


Deixe um comentário


Leia Também

Veja mais Notícias