Menu
Segunda, 19 de outubro de 2020

Preocupada com longas filas, TSE suspende biometria e divulga regras de biossegurança na votação em MS

Apesar das mudanças, cidades onde a revisão eleitoral foi feita até 2018, cadastro continua obrigatório. A partir de 2019, até quem não fez a biometria poderá votar.

03 de Set 2020 - 14h:04 Créditos: G1 MS
Crédito: TSE-MS/Divulgação

Com a pandemia do novo coronavírus, a preocupação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE-MS) é que as longas filas, algo recorrente em eleições anteriores, em Campo Grande, não se repitam em novembro deste ano. Por conta disto, foram divulgadas mudanças, como a suspensão da biometria.

Segundo o Secretário do Comitê Gestor da Biometria, Eduardo Nagata, o TSE optou por suspender a biometria, já que os equipamentos não podem ser limpados com álcool gel e o procedimento exige mais tempo para votar.

Apesar das alterações, nas cidades onde a revisão eleitoral foi feita até 2018, o cadastro biométrico continua obrigatório para votar, principalmente porque os eleitores que não fizeram o cadastro tiveram o título cancelado. É o caso de 10 municípios do estado, entre eles Campo Grande, Fátima do Sul e Bonito.

Já nos casos onde a revisão começou em 2019, até quem não fez a biometria poderá votar. Outra mudança provocada pela pandemia, nesta eleição, é o horário da votação. O TSE estendeu o tempo para votar em uma hora. Com isso, o eleitor poderá procurar as seções eleitorais das 7h até às 17h (de MS). O objetivo é dar mais tempo e assim evitar aglomerações.

No caso dos idosos, que pertencem ao grupo de risco da Covid-19, existe prioridade e a orientação é que eles procurem votar das 7h às 10h.

Quem tiver dúvidas se fez ou não o procedimento, a Justiça Eleitoral recomenda baixar o aplicativo e-título, disponível tanto para Android como IOS), pois ele, além de substituir o documento de identificação no momento da votação, já traz a informação se o eleitor teve a biometria coletada.

Deixe um comentário


Leia Também

Veja mais Notícias