Menu
Domingo, 28 de fevereiro de 2021

Aneel define reajuste de energia hoje em Mato Grosso do Sul

Rejauste começa a vigorar a partir de amanhã (8)

07 de Abr 2020 - 16h:34 Créditos: Top Mídia News
Crédito: Divulgação

A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) está decidindo hoje (7) sobre o reajuste da cobrança na tarifa da energia elétrica em Mato Grosso do Sul.

A homologação da nova tarifa deve ocorrer até o final da tarde e começa a vigorar a partir de amanhã (8).

O processo, que tem como relator diretor Sandoval de Araújo Feitosa Neto, é o 2º a ser julgado pela Aneel. Em 2019, a tarifa de energia elétrica dos consumidores da Energisa MS teve um aumento de em 12,39%, em média.

Bandeira verde

A bandeira tarifária de energia elétrica para abril permanece verde, sem custo para os consumidores. Este será o terceiro mês consecutivo de bandeira verde.

Mesmo com o acionamento da bandeira verde, é importante que o consumidor mantenha ações relacionadas ao uso consciente de energia elétrica e evite o desperdício.

Cobranças durante COVID-19

Diante do cenário de pandemia do coronavírus, muitos questionamentos foram levantados sobre a cobrança e corte de água e luz durante esse período. Após muito debate, a Aneel suspendeu, no último dia 24, o corte de energia elétrica por falta de pagamento dos consumidores, por um prazo de 90 dias. 

Conforme divulgado pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), mesmo sem o corte, não é impedido a negativação dos inadimplentes em cadastros de crédito.

Questionada, a Energisa informou que está dedicada em manter o fornecimento de energia para seus clientes e irá cumprir a determinação da Aneel de não realizar cortes para consumidores residenciais, residenciais rurais, baixa renda e de serviços essenciais durante os próximos 90 dias.

No entanto, a concessionária destaca o apelo feito pelo regulador para que aqueles clientes que têm condições mantenham seus pagamentos em dia, pois o faturamento dos clientes continuará sendo feito normalmente. Já sobre o prolongamento e negociações dos débitos, a Energisa diz que não há condições indicadas até o momento.

Deixe um comentário


Leia Também

Veja mais Notícias