Menu
Domingo, 21 de julho de 2024

Padre que ofereceu R$ 2 mil para ter relação sexual com menor vai responder em liberdade

Jucelândio José do Nascimento chegou a ser preso, mas foi liberado após audiência de custódia. Caso é investigado como importunação sexual, em Campo Grande.

10 de jul 2024 - 09h:03 Créditos: G1
Crédito: padre Jucelândio José do Nascimento, de 41 anos, vai responder em liberdade.

O padre Jucelândio José do Nascimento, de 41 anos, vai responder em liberdade pelo caso suspeito de oferecer R$ 2 mil para ter relações sexuais com um adolescente, de 16 anos, em Campo Grande. A audiência de custódia que liberou o líder religioso ocorreu nesta terça-feira (9).

Para conceder o direito a responder em liberdade, a Justiça impôs a proibição de aproximação da vítima, um adolescente de 16 anos.

O caso é apurado pela Polícia Civil como "importunação sexual". Internamente, a Arquidiocese de Campo Grande também investiga o suposto crime.

Importunação sexual

O padre Jucelândio José do Nascimento, de 41 anos, foi preso por oferecer R$ 2 mil para ter relações sexuais com um adolescente, de 16 anos, em Campo Grande, nessa segunda-feira (8).

Segundo informações do Boletim de Ocorrência, o pai da vítima descobriu o crime após o filho sair de casa escondido para ir à casa do padre. À polícia, o menor disse que ligou para o pai após o padre passar as mãos nas partes íntimas dele.

Assim que recebeu a ligação, o pai da vítima acionou a Polícia Militar, que foi até a casa do padre. No local, os militares encontraram o menor e o padre. Em depoimento, o suspeito disse que o garoto tinha ido a residência dele para tratar de um acampamento, detalha o Boletim de Ocorrência.

Já o adolescente afirmou ter ido ao local após o padre oferecer R$ 2 mil para ter relação sexual com ele. À polícia, o menor mostrou prints de conversas em aplicativo de mensagens que provam a versão relatada por ele.

O caso foi registrado como "importunação sexual" Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) Cepol e será investigado pela Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (DEPCA).

Jucelândio José do Nascimento também vai ser alvo de investigação dentro da igreja católica. Em nota, a Arquidiocese de Campo Grande informou que o caso está com o Tribunal Eclesiástico e com a Comissão de Proteção de Vulneráveis da Província Eclesiástica da capital.

O padre já foi afastado das funções ministeriais. Ainda conforme a Arquidiocese, um novo pároco será nomeado para a Paróquia Nossa Senhora Aparecida das Moreninhas, que era administrada pelo suspeito.

Leia abaixo a nota na íntegra da Arquidiocese da capital:

"Considerando que a Arquidiocese de Campo Grande teve ciência de graves denúncias contra o Pe. Jucelândio José do Nascimento, até o presente momento Pároco da Paróquia Nossa Senhora Aparecida das Moreninhas, em cumprimento às normativas do Direito Canônico, bem como às promulgadas pelo Papa Francisco e pela Sé Apostólica sobre a proteção de vulneráveis, determinei o afastamento ad cautelam do referido sacerdote de suas funções ministeriais, para que a autoridade policial, o Tribunal Eclesiástico e a Comissão de Proteção de Vulneráveis da Província Eclesiástica de Campo Grande conduzam com diligência as devidas investigações acerca dos fatos denunciados. Durante este período de afastamento e no aguardo dos resultados das investigações, será nomeado um Administrador Paroquial para a já mencionada Paróquia. Dom Dimas Lara Barbosa, Arcebispo Metropolitano de Campo Grande – MS".


Padre foi preso, em Campo Grande. — Foto: Redes sociais/Reprodução
Padre foi preso, em Campo Grande. — Foto: Redes sociais/Reprodução


Deixe um comentário


Leia Também

Veja mais Notícias