Menu
Quarta, 20 de outubro de 2021

Tio participou de estupro coletivo e morte de menina de 11 anos

Segundo o delegado Erasmo Cubas, o tio de 34 anos, abusava da menina desde os 5 anos de idade.

10 de Ago 2021 - 13h:39 Créditos: Linckon Lopes
Crédito: Divulgação/Polícia Civil

Elinho Areválo, tio da menina de 11 anos estuprada e atirada da pedreira https://ovigilantems.com.br/noticias/ver/09-08-2021/crian%C3%A7a-encontrada-morta-em-pedreira-pode-ter-sofrido-abuso-sexual era o quinto procurado pela polícia e foi preso no final da manhã desta terça-feira (10) em Dourados. 

Segundo o delegado Erasmo Cubas, o tio de 34 anos, abusava da menina desde os 5 anos de idade. 

Ainda de acordo o delegado a menina, Raíssa da Silva Cabreira foi arrastada para o local pelos autores e o tio flagrou o momento que os quatro cometiam o abuso e participou do estupro coletivo. Antes de cometer o crime os acusados obrigaram a menina a beber até que ela perdeu os sentidos. 

Assim que recobrou a consciência no momento em que era brutalmente violentada ela tentou se desvencilhar. Depois de abusarem da menina, que foi arrastada e fez tanta força para se defender que quebrou um dos braços. Rayssa foi atirada da pedreira e caiu de uma altura de 20 metros

Na delegacia o tio justificou que teria cometido o crime por estar alcoolizado. O laudo da perícia indicou que a menina apresentava lacerações na genital indicando ter sido vítima do estupro.


Rayssa, indígena da etnia Kaiowá teve o corpo destruído pela queda e estava com as roupas abaixadas quando foi encontrada pelas autoridades. A região da pedreira é um paredão entre as aldeias Bororó e Jaguapiru. Ela costuma ser frequentada pelos indígenas para uso de álcool e drogas.

Participaram do crime três menores de 14 um de 16 anos, e o jovem  Leandro Pinosa, de alcunha “baby”, de 20 anos de idade. De acordo com o Dourados News a investigação irá determinar o papel que cada um teve no desenrolar do crime.

Deixe um comentário


Leia Também

Veja mais Notícias