Menu
Segunda, 26 de outubro de 2020

Professor é preso suspeito de pedofilia em MS

O professor foi atuado em flagrante por armazenar em dispositivo eletrônico, conteúdo de pornografia infantil

11 de Mar 2020 - 16h:16 Créditos: Luiz Guilherme
Crédito: Divulgação/Campo Grande News

Foi preso ontem (10), em Três Lagoas, professor de futebol de um projeto social, suspeito de pedofilia. Ele não teve o nome divulgado, mas segundo o Campo Grande News, tem 47 anos, e dava aulas para crianças e adolescentes, nos bairros Oiti e Paranapungá, quando teria abusado de uma criança.  

A idade da vítima não foi revelada.  

De acordo com o site, agentes do SIG (Serviço de Investigações Gerais) fez buscas na casa do autor após receber informação de que ele tinha outras passagens pelo mesmo crime no Estado São Paulo. Além disso, a atual residência dele era frequentada por várias crianças. Durante vistoria no imóvel, foi localizado um aparelho celular com conteúdo de pornografia infantil e conversas de aplicativo que indicavam o crime.  

O professor foi atuado em flagrante por armazenar em dispositivo eletrônico, conteúdo de pornografia infantil, cuja pena varia de um a quatro anos de prisão e multa.  

Reportagem do Campo Grande News também detalhou que algumas testemunhas chegaram a contar à polícia que o professor recebia várias crianças em sua casa, sempre com a promessa de assistir filmes e comer pipocas.  

A polícia continua as investigações para identificar essas possíveis vítimas e saber se elas foram abusadas pelo investigado.  

No local, foram apreendidos um par de chuteiras infantil, três carrinhos de brinquedo, objetos, que segundo a polícia, eram usados para atrair crianças até o local, pois o suspeito morava sozinho e não tem familiares na cidade.  

Quem tiver informação sobre o caso e quiser colaborar com a polícia pode entrar em contato pelos telefones (67) 3929.1173 - (67) 3521.4984 ou (67) 9.9226.8210. A identidade do denunciante será mantida em sigilo.  


Deixe um comentário


Leia Também

Veja mais Notícias