Menu
Quinta, 04 de junho de 2020

Procon finaliza pesquisa de combustíveis mesmo após furto dos dados

Os dados da pesquisa estavam armazenados no notebook que foi furtado

22 de Fev 2020 - 10h:13 Créditos: Da redação
Crédito: Governo MS

Como forma de dar condições ao consumidor para  economizar quando da necessidade de abastecer seus veículos, a Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor – Procon/MS, órgão vinculado à Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho – Sedhast, realizou pesquisa em 122 postos de combustíveis em Campo Grande enfocando preços, em diversas modalidades (à vista em dinheiro,  cartões de débito e de crédito) de produtos como gasolina comum e aditivada, etanol e diesel S 500 e S 10, totalizando 15 itens pesquisados.

Os dados da pesquisa estavam armazenados no notebook que foi furtado da sede do Procon Estadual na noite do dia 19 de fevereiro (quarta-feira passada). Entretanto esse incidente não prejudicou os trabalhos  uma vez  que lançando mão de tecnologia, todas as informações foram recuperadas dando condições para se poder  divulgar os resultados à população, alvo maior do trabalho do órgão estadual de defesa do consumidor.

Após a apuração foi possível detectar  diferença de 15,999 por cento na comercialização de  diesel – S 10 na modalidade de venda  por meio do cartão de crédito, uma vez que o produto pode ser encontrado  por R$ 4,14 no posto Caravagio e o mesmo produto, na mesma modalidade é vendido por R$ 3,59 no Posto 2 017.

Em relação aos preços da gasolina comum na modalidade de venda a vista, o menor preço (R$ 4,299) está sendo oferecido pelo posto Morenão, na avenida Costa e Silva, enquanto o maior (R$ 4,729) está no Posto Platinão, na BR 163. Vários outros itens e índices constam da pesquisa demonstrando ser essencial para que  o consumidor consiga economizar cada vez que necessitar adquirir quaisquer produtos, inclusive  combustíveis.

O superintendente do Procon Estadual, Marcelo Salomão, reforça a importância do consumidor ter hábito de pesquisar, tornando o mercado mais competitivo.

Deixe um comentário


Leia Também

Veja mais Notícias