Menu
Segunda, 26 de outubro de 2020

Estudante de medicina em MS cola grau por videoconferência; outros casos são analisados

São pedidos de universitários da UFMS e da UFGD, todos com base em autorização do MEC devido à pandemia de covid-19.

23 de Abr 2020 - 11h:49 Créditos: G1 MS
Crédito: Reprodução

A agora médica, Ariel Krause, foi a primeira estudante de medicina, em Mato Grosso do Sul, a colar grau antes da conclusão do curso. Ela estudava no campus de Três Lagoas, da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, e se formaria no meio deste ano.

No estado, outros 76 estudantes de medicina tentam o diploma com base em decisão do Ministério da Educação que autorizou a colação de grau a universitários da área de saúde que estivessem no último ano da graduação, desde que preenchessem alguns requisitos, por conta da pandemia de covid-19. O Conselho Federal de Medicina disse que é contra a antecipação de formatura.

Ariel se formou primeiro que os colegas porque conseguiu autorização judicial, pois tem que assumir uma vaga em concurso, como médica, no interior do Paraná. A colação de grau foi por videoconferência, situação inédita na instituição. "Não esperava. Foi a concretização de um sonho. Agora vou atuar na atenção primária", disse.

Outros 38 colegas de Ariel tentam a colação antecipada. O nome dela estava na lista de análise da instituição de ensino e com isso o número de pedidos era de 39, porém, ela conseguiu primeiro devido a autorização judicial.

Na Universidade Federal da Grande Dourados, estão em análise 38 pedidos de antecipação de formatura.

 

Deixe um comentário


Leia Também

Veja mais Notícias