Menu
Domingo, 24 de janeiro de 2021

Polícia do RJ recebe várias denúncias de barricada do crime

Ao todo são mais de mil denúncias

25 de Out 2020 - 08h:39 Créditos: Roberta Ferreira
Crédito: Imagem ilustrativa

O direito de ir e vir de moradores do Estado do Rio de Janeiro vem sendo reprimido por milicianos e traficantes, que instalam barricadas nos acessos a comunidades. Desde o início do ano, o Disque-Denúncia (2253-1177) já recebeu 4.652 relatos sobre essas ações.  

Com entulho, pneus, montes de lixo, madeira, vergalhões e até estruturas de concreto, bandidos fecham vias como a Estrada Porto Velho, que leva à Cidade Alta, em Cordovil. Ali, um motorista que seguia um atalho indicado por um aplicativo de trânsito foi baleado na última quarta-feira, após se deparar com um bloqueio na pista e tentar retornar à Avenida Brasil.  

Cordovil, onde fica a comunidade, é um dos cinco bairros que mais concentram denúncias sobre barricadas — são 61. Os outros são Anchieta (82), Bangu (78), Parada de Lucas (61) e Vaz Lobo (50). Entre as cidades do estado, São Gonçalo está no topo da lista (1.601), seguido por Rio, (919), Duque de Caxias (609), São João de Meriti (599) e Belford Roxo (398).  

A prática não é nova — ao longo de todo o ano passado, foram feitos 7.356 relatos ao Disque-Denúncia,, assim como a dificuldade do poder público para enfrentá-la.  

Segundo o antropólogo Robson Rodrigues, pesquisador do Laboratório de Análise da Violência da Uerj e coronel da reserva da Polícia Militar, as barricadas agravam a situação de exclusão de moradores de muitas comunidades.  

"Os bloqueios do crime dificultam a chegada não apenas da polícia ou de criminosos rivais, mas de todos os serviços. Dessa forma, uma grande parcela da população, que já sofre com a falta de infraestrutura, fica ainda mais prejudicada."?


Deixe um comentário


Leia Também

Veja mais Notícias