Menu
Segunda, 25 de outubro de 2021

Empresas de MS mudam rotinas para atender clientes durante a pandemia

Campanhas em mídias digitais, delivery, ampliação de grama de produtos e uso de promoções são as novas ações de empresários na capital

28 de Jul 2020 - 20h:41 Créditos: Herma Aafke
Crédito: Divulgação

O avanço do coronavírus no estado de Mato Grosso do Sul tem mudado a rotina não somente dos consumidores, mas também de órgãos públicos e empresas que precisam se ajustar as novas medidas que surgem em combate ao avanço da doença. Na capital Campo Grande o covid-19 também trouxe uma nova realidade.

Adriana Pacheco Bittencourt, empresária no ramo de ótica, de 43 anos, explica que além de atender as demandas sanitárias exigidas como uso de álcool em gel e máscara tem atendido seus clientes via aplicativo de mensagens e agregou a venda de semijoias para produzir novos rendimentos. Além do atendimento no domicílio do cliente Bittencourt conta que ampliou a divulgação de imagens nas mídias sociais, fato que trouxe novos compradores ao seu estabelecimento.

Atuando com venda de livros há mais de dez anos, Judá Reis dos Santos, 49 anos, conta que a pandemia trouxe novos leitores que estão passando mais tempo em casa e com isso procuram novas atividades para cumprir o isolamento social. Além do uso de aplicativo de mensagem, Santos criou um grupo que troca informações sobre leituras e isso tem trazido mais vendas ao seu comércio. A propaganda de outros clientes, o uso de aplicativo de mensagens e anúncio de lançamentos e a venda personalizada ao consumidor final de acordo com seu gosto literário trouxe fôlego ao negócio e outra inovação foi a entrega em domicílio. “O fato de entregar em casa e cliente poder ver e ter detalhes sobre o produto tem feito os pedidos aumentarem.”, afirma o livreiro.

Já a proprietária de um salão de beleza, Elaine Cristina Rodrigues, de 38 anos, conta que os cuidados com a higiene já eram praticados e agora além do reforço na profilaxia e assepsia tem feito investimentos para trabalhar com equipamentos de maior qualidade para evitar riscos tanto à sua saúde quanto para de suas clientes. Ela também tira fotos dos trabalhos executados no salão e coloca em seu status do aplicativo de mensagem. “As pessoas podem visualizar o seu trabalho e isso traz confiança no cliente para o resultado final”, conclui.

Gustavo Henrique Antonioli, de 24 anos, atendente de Call Center, percebeu no aplicativo de mensagens a oportunidade de aumentar sua renda. Como vendia produtos para beleza e por conta das restrições de visitas as clientes decidiu criar um grupo em que realiza um bazar com as integrantes. A ideia surgiu diante da dificuldade de poder mostrar os objetos. O sucesso foi tanto que já está se preparando para a terceira edição do bazar. “Posso mostrar os itens as minhas clientes, realizo um sorteio no final para todos que permanecem no grupo e separo cada pedido individualmente, realizando as entregas na comodidade da casa da pessoa. Adoto todos os cuidados na higienização de cada mercadoria e a pessoa aproveita preços com desconto e ainda recebe em seu lar.” Relata Antonioli.

Deixe um comentário


Leia Também

Veja mais Notícias